terça-feira, 7 de março de 2017

Quando tudo parecer perdido





Todos nós, algum dia, já nos deparamos com situações diante das quais nos sentimos absolutamente impotentes; nada podíamos fazer, nenhuma palavra podia ser dita, nenhum gesto nosso faria qualquer diferença, nossas experiências para nada valeriam. Nessas horas, só nos restou uma constatação, uma certeza: Só Deus para nos ajudar! Ele é o único bálsamo capaz de trazer alívio para a nossa mais profunda dor. O Senhor conhece a nossa alma e sabe dos nossos limites. Ele nos conhece tal como somos. Só Ele pode invadir os segredos do nosso ser.


Há momentos tão difíceis que, se Deus não nos tomar pela mão, ficaremos prostrados. Da mesma forma, se Ele não tocar nosso coração, ninguém conseguirá consolar-nos. Se a força dele não nos erguer do caos, ficaremos cambaleando, tal qual um bêbado, com passos trôpegos pelos corredores da vida. O Senhor é a esperança que nos mantém vivos, e a Sua força é a razão de seguirmos vivendo, apesar das tempestades.


Depender do Altíssimo não é sinal de fraqueza, mas o testemunho de fortaleza interior. O homem só é grande quando se reconhece carente do Senhor. Crescemos quando estamos nos braços do Pai.


Feliz a pessoa que pode dizer, a qualquer tempo: “Agora, só Deus!” Todos nós temos nossos limites. Ninguém se basta. Reconhecer os limites é sinal de grandeza e de humanidade. Diante das impossibilidades humanas, clamar por Deus é semear a vitória; é construir pontes por entre as nuvens nebulosas do sofrimento.


Algumas experiências da vida não podem ser vivenciadas sem a ajuda de Deus: a dor do luto, a solidão por um amor findo, o medo do amanhã, a sensação do abandono, o fim de um sonho, e tantas outras experiências dolorosas que a vida nos reserva. Para encará-las e vencê-las, só com Deus!


Muitas pessoas, quando olham para trás, vendo os desafios que enfrentaram e as lutas que venceram e percebendo os muitos livramentos que tiveram ao longo da vida, têm a certeza de que foi o Senhor quem lhes deu proteção, forças para lutar e coragem para não desistir. Tais pessoas colocam a mão no peito e dizem com voz de triunfo e gratidão: “Foi Deus!”


Sendo assim, só nos resta uma certeza diante de tantas incertezas e das contingências ao nosso redor: só Deus para nos garantir proteção e manter viva a chama da fé e a vontade de viver, com doçura e esperança, com alegria e paixão.


Quando tudo parecer perdido, humanamente sem solução, não há por que entrar em desespero. Lembremo-nos da promessa bíblica: Se Deus é por nós, quem será contra nós (Romanos 8.31).


Deus o abençoe

Pastor Estevam Ernandes
PIB João Pessoa -PB



fonte: http://www.atendanarocha.com/2017/03/quando-tudo-parecer-perdido.html

sexta-feira, 3 de março de 2017

A Bíblia e o silêncio






No livro de Eclesiastes está escrito que tudo tem seu tempo determinado e que há tempo para todo propósito debaixo do céu. Inclusive o tempo de falar e tempo de ficar calado. Também há outras formas de silêncio na Bíblia que merecem uma boa análise. Então vamos ver isso de mais perto.

.
No Salmo 115:17 está escrito que os mortos não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio. Esta semana foi particularmente dura quanto a esta forma, pois minha cunhada Dalva, a mais alegre, a mais barulhenta, faleceu e está em um lugar de silêncio na cidade de Barra do Turvo/SP


No Evangelho
segundo Mateus, no capítulo 26, também está escrito que Jesus guardava silêncio diante do sumo sacerdote judeu no dia do julgamento. O líder religioso perguntava, mas Jesus continuava calado. Talvez admirado da ignorância dele, tão fora de sintonia com Deus. Então o sumo sacerdote perguntou: Conjuro-te perante o Deus vivo que nos diga se tu és o Cristo, o filho de Deus. Então Jesus abandonou o silêncio e produziu a prova oral que o condenou à morte. "Tu o disseste; entretanto, eu vos declaro que, desde agora, vereis o Filho do Homem assentado à direita do Todo-Poderoso e vindo sobre as nuvens do céu." Então, o sumo sacerdote rasgou as suas vestes, dizendo: "Blasfemou! Que necessidade mais temos de testemunhas? Eis que ouvistes agora a blasfêmia!" Para um Judeu, Deus é único e não tem filho.

No Centro da Cidade de São Paulo as pessoas também fazem silêncio diante dos grupos de viciados em crack e loucos da Região da Praça da República. É o silêncio da desigualdade e da impotência. Se o próprio viciado não procurar por ajuda, ele não pode ser forçado nem ajudado. O silencio diante de uma liberdade da escolha de autodestruição.

Em Lucas 15, um pai amoroso não disse uma palavra quando o filho mais novo pediu a herança e foi embora de casa. Nada do que o pai dissesse teria valor. Foi o silêncio do amor e da sabedoria. Aquele pai aguardou em silêncio até o dia que avistou o filho retornando para casa. Então começou a falar sem parar: Trazei-me depressa a melhor roupa, ponde-lhe um anel na mão, sandálias nos pés, trazei-me o bezerro cevado e matai-o; comamos e alegremo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu; tinha se perdido e foi achado!"

No Evangelho segundo João, um grupo de fariseus levou uma mulher adúltera diante de Jesus. Eles queriam ver sangue; acusavam e Jesus permanecia em silencio. Eles continuaram acusando enquanto Jesus escrevia na areia. Não disse uma palavra. Quando os homens calaram-se Jesus disse: "Aquele que estiver sem pecado, atire a primeira pedra." Ele guardou silêncio diante da hipocrisia, quando ela se calou, ouviu uma crítica certeira. E foi em silêncio que eles foram embora. Um silêncio de vergonha.

Em Apocalipse 8, por quase meia h
ora se fez silêncio no céu. O silêncio da expectativa.

Existe também o silêncio dos covardes, que no tempo de falar preferem ficar calados. Há ainda o silêncio de um coração contrito cujas palavras e gemidos já se esgotaram em oração. E há o silêncio da dor, da opressão, onde a língua permanece muda, enquanto as lágrimas falam.

Para cada tempo
e ocasião existe uma forma de silêncio adequada. Mas eu guardei a melhor para o final. Se você ainda não aceitou Jesus Cristo como Senhor da sua vida, ou está distanciado dele como o filho pródigo, não fique em silêncio diante da oportunidade quando você ouvir a voz de Deus falando a sua almas.


Fonte: http://olharcristao.blogspot.com.br

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

ENCORAJAMENTO

O que a Bíblia diz sobre o encorajamento?

Nós podemos ser encorajados e animados pelos exemplos dos outros. A Bíblia diz em 1 Tessalonicenses 3:7: “Por isso, irmãos, em toda a nossa necessidade e tribulação, ficamos consolados acerca de vós, pela vossa fé.”
Também devemos refletir na esperança eterna que temos em Cristo. A Bíblia diz em 1 Pedro 1:6: “Exultai, ainda que agora por um pouco de tempo, sendo necessário, estejais contristados por várias provações.”
Quando encorajamos a outros, encorajamo-nos a nós mesmos. A Bíblia diz em Romanos 1:11-12: “Porque desejo muito ver-vos, para vos comunicar algum dom espiritual, a fim de que sejais fortalecidos; isto é, para que juntamente convosco eu seja consolado em vós pela fé mútua, vossa e minha.”
Quando nos lembramos como Deus nos guiou no passado, recebemos ânimo. A Bíblia diz em Josué 24:16-17: “Então respondeu o povo, e disse: Longe esteja de nós o abandonarmos ao Senhor para servirmos a outros deuses: porque o Senhor é o nosso Deus; ele é quem nos fez subir, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da servidão, e quem fez estes grandes sinais aos nossos olhos, e nos preservou por todo o caminho em que andamos, e entre todos os povos pelo meio dos quais passamos.”
Animai-vos uns aos outros através daquilo que apreciais uns nos outros. A Bíblia diz em 1 Tessalonicenses 5:11: “Pelo que exortai-vos uns aos outros e edificai-vos uns aos outros, como na verdade o estais fazendo.”
Animem os novos crentes constantemente. A Bíblia diz em Atos 14:21-22: “E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, Icônio e Antioquia, confirmando as almas dos discípulos, exortando-os a perseverarem na fé, dizendo que por muitas tribulações nos é necessário entrar no reino de Deus.”
Animem os vossos líderes de igreja. A Bíblia diz em 1 Tessalonicenses 5:12-13: “Ora, rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, presidem sobre vós no Senhor e vos admoestam; e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra. Tende paz entre vós.”
Deus nos dá ânimo quando nos sentimos desanimados. A Bíblia diz em Jeremias 29:11: “Pois eu bem sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor; planos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança.”
Deus promete ânimo quando necessitamos. A Bíblia diz em Salmos 138:3: “No dia em que eu clamei, atendeste-me; alentaste-me, fortalecendo a minha alma.”
Para que te animes, lembra que Deus continua a obrar na nossa vida e carácter. A Bíblia diz em Filipenses 1:6 “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus”. (BibleInfo.com)

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Qual é a da sua Célula??


Eles seguiam uma disciplina diária de cultos no templo, seguido de refeições nas casas. Cada refeição era uma celebração vibrante e alegre, com muito louvor a Deus. O povo da cidade apreciava o que via. Todos os dias, o número deles aumentava, e Deus acrescentava os que iam sendo salvos. (Atos 2:47 – A Mensagem).


Quero te fazer uma pergunta: sua célula é como a descrição do texto acima?


Eu penso que o sucesso da igreja primitiva estava intimamente ligado ao estilo de vida que levavam. Eram disciplinados, unidos, vibrantes, alegres e simpáticos. Geravam um ambiente de amor, fé e alegria e consequentemente conquistavam a cidade e Deus acrescentava diariamente os que iam sendo salvos!

Um erro que tenho visto é que temos feito células para crentes. A célula é uma ferramenta para ganhar vidas!

Perdoe-me a franqueza, mas um grupo que só existe para juntar um grupo de pessoas afins, para um encontro semanal, estático, somente com propósito de comunhão, que não pensa em vidas e multiplicação, pode ser chamado de qualquer coisa, mas não de célula!

Se nossa célula não está atraindo os perdidos, pode investigar, há algo que não está funcionando da forma que deveria!

A questão não são os números. Não é se você tem uma, dezenas ou centenas de células debaixo de sua liderança, mas sim se existem pessoas que ao entrarem em contato com o pequeno grupo estão sendo constrangidas a uma mudança de vida.

Como é o clima da sua célula? Frio ou quente? Alegre ou triste? Espontâneo ou rígido? Essa atmosfera determinará como será o processo de desenvolvimento e maturidade de sua célula.

Existem três atmosferas que vejo muito claramente na igreja primitiva descrita em Atos: Amor, Fé e Alegria. Se desenvolvidas, inevitavelmente, se conquistará a simpatia do povo.



Amor.

O padrão de amor do mundo é: “Ame a quem te ama, a quem te faz bem, a quem te quer bem”.

Mas nós não somos deste mundo. João 17:14 – “Dei-lhes a Tua Palavra, e o mundo os odiou, pois eles não são do mundo, como eu também não sou”.

O nosso padrão é outro.

1 Coríntios 13: 4-7 – “O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”.

É fato, o que mais se vê nas pessoas hoje é a necessidade de serem aceitas. Nesse mundo a vida é cada vez mais frenética, os afazeres são muitos, estudos, concursos, mercado de trabalho, tecnologia.

Isso acaba levando as pessoas a terem relacionamentos cada vez mais express e rasos. Muitas vezes esse déficit de amor veio de casa, desde a infância.

A busca por aceitação nada mais é do que o desejo de ser amado. Quando somos aceitos por um grupo, seja de amigos, escola, faculdade, trabalho é gerado em nós um sentimento de segurança e preenchimento seja verdadeiro ou falso.

Nosso papel como célula é amar. Fazer com que pessoas, em contato conosco, se sintam aceitas, se identifiquem, não se sintam julgadas.

Receba de forma excelente os convidados. Abrace-os. Olhe em seus olhos. Se chegarem atrasados, pare tudo, e os receba. Não os intimide com perguntas complicadas.

Não os force a fazer algo que não se sintam a vontade. Ame-os. Não somente durante a reunião, mas antes da próxima e depois da última.

Faça contato. Ligue para ele. Convide-o para comer em sua casa. Chame para sair. Conquiste-o. Sirva-o em que você puder. Insira-o em seu grupo, em sua célula. Invista tempo!



Fé.

Hebreus 11:1 – “Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos”.

Existe uma atmosfera de fé verdadeira em sua célula?
Quantos milagres você já viu acontecer em sua célula? Quantas vidas foram salvas? Quantos foram curados? Quantas vezes vocês oraram e foram respondidos?

Fé não é somente dizer “amém” ou concordar com a oração do outro, mas é ter aquela certeza no íntimo de que Deus pode todas as coisas.

O termômetro de fé de uma célula são as orações respondidas!

Eu tenho um líder de célula que sempre vem me contar testemunhos frutos de oração. Já ouvi testemunho de salvação de vidas, cura de AVC, cura de câncer, portas de empregos se abrindo para as ovelhas e pra ele mesmo. Isso é fé!

Mateus 21:22 – “E TUDO o que pedirem em oração, se crerem, vocês receberão.”

Os milagres não são para nos gloriar, são uma estratégia para atrair pessoas que ouvindo as boas novas possam ser salvas. Observe quantos milagres Jesus fez em sua passagem pela terra e quantas pessoas O seguiam.

Foram milhares que ouviram a Palavra da Salvação! Muitos que se arrependeram! Nós com célula, temos que buscar esses milagres, para alcançar mais pessoas.

Mas como posso aumentar o nível de fé da minha célula?


Romanos 10:17 – “Consequentemente, a fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a Palavra de Cristo.”

Simples. Bombardeie a sua célula com a Palavra. Em toda oportunidade que vocês tiverem falem da Palavra.

Josué 1:8 – “Não deixe de falar as palavras deste Livro da Lei e de meditar nelas de dia e de noite, para que você cumpra fielmente tudo o que nele está escrito. Só então os seus caminhos prosperarão e você será bem-sucedido”.



Alegria.

Eu gosto que a reunião de célula comece pela dinâmica, pois com a brincadeira já se quebra o gelo, damos boas gargalhadas e esse momento pode desarmar o visitante que tem alguma barreira com o evangelho.

Uma pesquisa revelou que os primeiros 15 minutos determinam se uma pessoa volta ou não a um local.

Então é muito importante que, seja por qual momento sua reunião de célula comece, tudo seja feito com muita alegria. Fique atento em relação à sua postura, expressões faciais, sua fala, pois tudo passa uma mensagem que pode ser positiva ou não.

Não coloque louvor que somente os crentes saibam. Escolha músicas alegres, pra cima, de fácil compreensão. Não é adequado colocar uma música em que o ministro está chorando ou orando em línguas. Imagine o convidado escutando isso?

As questões do ambiente também colaboram para essa atmosfera de alegria, então mantenha o local de reuniões limpo, bem arrumado, bem iluminado. Mural com fotos de momentos com a célula e palavras de fé são ótimos!

Somado a tudo isso muitos sorrisos, abraços, interação, ok?

Nunca se esqueça: a célula é para os convidados. Uma ferramenta para levar perdidos até Jesus Cristo e consequentemente à salvação!

Que essas dicas possam ser aplicadas com sucesso em sua célula. Se você tem alguma outra que se encaixe nessas três atmosferas deixe um comentário e abençoe também as pessoas. Paz!




http://www.amominhacelula.com.br/qual-e-a-da-sua-celula/

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Volte!!!




A volta do Filho Pródigo

Amado filho,

"Você, pouco a pouco, foi ficando com o coração vazio e hoje se encontra longe da minha Casa. Eu percebia isso mas nada podia falar porque seus olhos já estavam longe demais para me escutar. Foi muito triste para mim a sua partida, porque eu o amava. Assim, comecei a orar por sua volta.

Sabe por quê hoje você anda triste? É porque perdeu a presença do meu Espírito quando seu coração foi se fechando por uma mágoa, uma crítica, um desprezo, um mal entendido, uma humilhação e até mesmo, quem sabe, por um pecado escondido.

Eu não me agrado que fique remoendo aquelas velhas mágoas e lembranças ruins. Quero perdoá-lo, mas enquanto não se esforçar em perdoar de todo coração as ofensas daquelas pessoas, meu perdão não poderá alcançá-lo. Qualquer um pode cair, mas só quem perdoa não fica no chão. Você ainda pode perdoar? Ainda tem coragem para perdoar hoje mesmo?

Você sabia que mágoas são como correntes malignas? Primeiro elas afastam da Igreja, da família, da comunhão, entristecem o Espírito Santo. Depois elas abrem a porta para deixar ir embora a paz, a saúde, as bênçãos... Peça-me forças pra mim, que eu vou lhe conceder graça para quebrar essas correntes.

Perdoe! Volte! Liberte-se! Haja o que houver, nesse domingo: escolha sua melhor roupa, seu melhor sapato, separe a sua oferta e venha ao culto na minha Casa. Resista ao diabo porque assim ele vai fugir de perto de você.

Tudo que o diabo roubou, tudo o que ele destruiu, você pode ter de volta: o perdão, a paz, a alegria, a presença do meu Espírito, a família e a comunhão com a Igreja. Volte porque seu lugar ainda está vazio e o amor que tenho você ainda é o mesmo."

Do seu maior amigo,

Jesus.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

SUA CÉLULA É ‘CRISTOCÊNTRICA’?

 Conservemos os nossos olhos fixos em Jesus, pois é por meio dele que a nossa fé começa, e é ele quem a aperfeiçoa. Hebreus 12:2

Que líder nunca se pegou aflito preparando os detalhes da reunião da célula? Ou então, quem nunca se descabelou buscando diversas estratégias e lançando diversos apelos para que os membros trouxessem convidados?
 
Quem nunca se encheu de orgulho e de alegria por ver a sua célula cheia de membros e de visitantes? Quem é o líder de célula que já não se pegou gastando horas se avaliando, em crise, ou entristecido por não conseguir a aprovação ou o reconhecimento por algo que fez?
 
Tudo isso é bastante comum e normal no nosso cenário cristão hoje em dia, mas se refletirmos sobre esse nosso comportamento tão carnal e humano, uma pergunta deve aparecer em nossa mente e lá ecoar: “Será que a minha célula é realmente ‘Cristocêntrica’ ou estamos destacando demais as coisas naturais e nos esquecendo do que – ou melhor, de quem – mais importa?”
 
É bastante óbvio que precisamos sim nos atentar a detalhes de arrumação, eventos, estratégias para trazermos visitantes e etc., pois essas coisas são ferramentas poderosas que podem e devem ser usadas em prol do Reino, porém o maior problema disso é quando supervalorizamos algumas coisas e deixamos Cristo em segundo plano.
 
Pode parecer um absurdo, mas sim, nós temos uma incrível facilidade para deixarmos Cristo de lado e tratarmos a sua presença, a sua glória e o seu espírito apenas como objetos a serem usados, e o pior de tudo, de forma descartável.
 
Imaginem comigo: um grande e amado amigo nosso está fazendo aniversário, todos da célula se movimentam para fazer uma super festa, compram o bolo, os salgados, as bebidas, fazem uma bela decoração no ambiente, compram presentes, enviam convites, trazem muitos visitantes para aproveitar a comemoração e botam uma boa música, tudo muito bom e legal de ser feito, a festa está quase completa…
 
Mas de repente o organizador do evento se lembra de que se esqueceu de avisar o aniversariante! Opa! Isso com certeza seria constrangedor! Uma grande falha, fazendo com que toda aquela festa perfeita que estavam preparando se tornasse algo sem sentido e incoerente, não é mesmo?
Toda arrumação, o esforço e os investimos se tornariam sem propósito e sem necessidade: O mais importante, a razão e a causa de tudo aquilo não está lá. A questão é que lamentavelmente cometemos incontáveis vezes esse mesmo erro em nossas células e em nossas reuniões. Se tratando de célula, é claro que devemos saber preparar festas ótimas, mas muito mais importante é garantir que o aniversariante estará lá.
 
É muito normal, pelo estilo de vida que essa cultura vigente nos condiciona a levar, que coisas do tipo aconteçam, somos todos humanos e falhamos às vezes mais do que acertamos, entretanto, ter Jesus como o centro da nossa célula não é um luxo, mas uma obrigação do líder.
 
Precisamos entender o mais rápido possível que, primeiramente, quem deve ser agradado, honrado e buscado é Jesus Cristo, o nosso Senhor. Não podemos jamais cair no engano de achar que comida, boa música, boa palavra, bom ambiente, boas pessoas ou até mesmo um bom líder conseguirão atrair as pessoas até o pequeno grupo e as fazerem ficar.
 
As pessoas aí fora estão sedentas por algo novo, famintas pelo alimento espiritual, estão procurando intensamente algo que as preencha, as complete, as cure e as salve, e, neste caso, nem líder e nem evento servem.  
 
Todas essas coisas naturais podem satisfazer nossa alma, nosso ego, nossa vontade, nossos olhos, nosso corpo, mas só a Presença de Jesus satisfaz plenamente o nosso espírito.
 
Creio que como líder precisamos passar alguns momentos mergulhados em intimidade com o Pai, refletindo e buscando revelação para confirmarmos se realmente estamos priorizando Jesus em nossa célula, se Ele conduzindo nossas reuniões é o nosso alvo ou se os membros, os visitantes, a comunhão, os números, a diversão e até a multiplicação não estão tomando o lugar do Rei e se tornando as prioridades em nosso pequeno grupo.
Fato é que temos a tendência de depositarmos toda a nossa fé e confiança em coisas naturais (coisas que vemos, que ouvimos e que tocamos) por uma ilusão de que estas coisas farão da nossa célula melhor, mais cheia, mais “alegre”, descontraída e legal, quando na verdade só uma coisa é tão importante e necessário ao ponto de gastarmos todas as nossas energias e esforços na busca pra alcança-la: Jesus como o centro de tudo.
 
Aprendi a duras penas, depois de muito tempo, que nada – absolutamente nada – vale tanto a pena quanto a presença de Deus. Por mais que nós sejamos legais, simpáticos, amorosos, amigos, por mais que a comida seja boa e a comunhão farta, por mais que o ambiente esteja decorado e o evento seja super bem planejado, por mais que a palavra seja ótima e que o ministrante a faça com muita eloquência e carisma, por mais que o louvor arrebente e as pessoas sintam “calafrios e sensações” durante a música, por mais que chorem, que riam, que pulem, que dancem, que se abracem, que orem um pelos outros ou qualquer coisa do tipo, o que realmente vale a pena no final de tudo, o que realmente transforma vidas, o que realmente fortalece a nossa fé, o que realmente faz com que os visitantes voltem, o que realmente nos transforma em homens e mulheres segundo o coração de Deus é a sua Presença no nosso meio com liberdade e com toda a autoridade. É Ele ter tanta autoridade, liberdade, destaque e honra até que possamos reconhecer que Cristo é o centro de tudo.
 
Se hoje você é um líder a pouco tempo (ou até a muitos anos), se eu tivesse a oportunidade de te dar um conselho no qual você poderia basear toda a sua liderança e todas as reuniões da sua célula, com certeza seria: Deixe com que Jesus seja o centro, o começo e o fim, considere a sua Presença e a dê o seu devido valor, não fique gastando mais energia com coisas naturais do que com o Jesus real.
 
Seja desesperado para tê-lo por perto e todas as coisas acontecerão bem. Não deixe o nosso Rei em segundo plano em nada, nem busque agradar excessivamente o homem. Olhe pra Cristo e deixe com que Ele ocupe o centro, tanto das atenções, como o da mensagem, da dinâmica, do louvor, da liderança e todo o resto.
 Então lhe disse: Se tu mesmo não fores conosco, não nos faças subir daqui. Êxodo 33:15